segunda-feira, 18 de abril de 2011

PÁSCOA


Cruz - lugar maldito,
Onde imolado
Foi Jesus, o Cristo.
Lá foi que o pecado,
NEle colocado,
Foi enfim, tirado.
Estou perdoado.
Cruz - lugar bendito!

Data horrorosa,
Tanta crueldade...
Mas, quão preciosa,
Toruxe a liberdade,
Pra andar na verdade,
Com sinceridade
E em santidade.
Data gloriosa!

Na Páscoa há ferida,
Morte e lamento.
Mas, depois, a vida
Surge num momento.
Novo sentimento...
Novo pensamento...
Fora o vil fermento...
Páscoa - és querida!

Páscoa, és história
Pra ser celebrada.
Contas a vitória
Por Deus alcançada.
Sem Jesus, não há nada!
NEle a caminhada
É abençoada.
Páscoa - à Deus, a glória!

Gilberto Celeti

"Lançai fora o velho fermento, para que sejais nova massa, como sois, de fato, sem fermento. Pois também Cristo, nosso Cordeiro pascal, foi imolado. Por isso,celebremos a festa não com o velho fermento da maldade e da malícia e sim com os asmos da sinceridade e da verdade" (1 Coríntios 5.7,8).

2 comentários:

  1. Bela poesia!
    Digna de ser proclamada a todos os ventos...

    ResponderExcluir
  2. Inspiradissima poesia.
    Parabens Pr gilberto

    ResponderExcluir